sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Companheiro de Viagem

Hoje, dia 29 de outubro, comemora-se o dia nacional do livro. Comemoração que nasceu em 1810, quando a Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro foi criada. A idéia em dar esse dia “ao livro” nasce no afã de despertar o desejo pela leitura nas pessoas.

Creio ser de grande valia esse incentivo, pois segundo o caderno Anexo do jornal AN , uma pesquisa feita pelo Instituto Pró-livro mostrou que 77% dos cinco mil entrevistados preferem ver TV no tempo livre, sendo que o livro é a quinta opção para os momentos de ócio. Uma pena!

Aqueles que estão no poder, são beneficiados com a “burrice” generalizada, são gratos àqueles que sentam na frente da TV se deixam alienar. Não estou generalizando, até existe coisa boa na TV, mas dá para contar nos dedos da mão (do Adoni-Bezeque Jz 1:4-7) e confesso, já assisti a programas que me levaram a concordar com os “ermãos” mais tradicionais, quando afirmam que a TV é do diabo.

Na igreja isso também acontece, pois quanto mais inculta a membresia, mais poder a liderança tem, pois informação é poder! Tanto que quem critica ou simplesmente tem outra opinião, é chamado de crente frio, eu sei bem o que é isso... mas isso são outros quinhentos...

Eu escrevi o livro Rascunhos da Alma por acreditar no poder que um livro na transformação do indivíduo, como disse o poeta: “Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.” Mário Quintana

Vamos ler, vamos pensar. Vamos aumentar nosso vocabulário, aumentar nosso poder de imaginação e criatividade. Vamos tornar um livro nosso companheiro de viagem, e eu falo não só da viagem do trabalho/escola/academia para casa, mas da viagem da vida.

Termino esse texto com a carta de John Wesley a John Trembath em 17/08/1760.
“O que tem prejudicado a sua vida no passado e lamento dizer, até hoje, é a sua negligência quanto à leitura. Negligência tal que por sua vez chega a prejudicar até o próprio desejo de ler. Dificilmente me recordo de um pregador que leia tão pouco. Eis a razão porque seu talento em pregar não aumenta. Você continua pregando como pregava há sete anos; com emoção, porém sem profundidade. Falta variedade e conteúdo.

A leitura poderá preencher estas lacunas com meditação e oração diária. Você prejudica a si mesmo em omitir tal prática. Desprezo à leitura impede alguém de ser um pregador maduro. Até para ser um cristão íntegro é mister a leitura adequada. Oxalá que começasse logo!

Separe uma parte do dia para este exercício. Assim adquirirá o sabor por aquilo que faltava; o que parece monótono no início se tornará com o tempo um prazer. Com ou sem disposição leia e ore diariamente. É para a sua própria vida; não existe outro caminho.

Faltando isso será para sempre um pregador superficial.”

2 comentários:

Willian Rochadel disse...

Realmente tem faltado conteúdo tanto na pregação como nas músicas, vivemos num tempo de 'ver o espírito agir', de 'depender do espírito' e acaba por sair grandes asneiras.
Sola escrituras!
Jz 1:7 "Porém Adoni-Bezeque fugiu, mas o seguiram, e prenderam-no e cortaram-lhe os dedos polegares das mãos e dos pés."

Anderson R. Miranda disse...

Concordo com as suas palavras, discuto esse tema com o mesmo pensamento diversas vezes, até o concordo com os "ermãos" em muitas circunstâncias; Infelizmente, muitas pessoas devem estar em frente à tv no mesmo momento em que li esse texto; Infelizmente, algumas delas dentro de nossas próprias casas; Felizmente, ainda encontramos pessoas com vontade de despertar, e criar, uma consciência e um senso crítico, uma capacidade de analisar e formar opinião, longe das informações prontas e opiniões preparadas da bendita "caixa falante".

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...