segunda-feira, 28 de abril de 2008

Nem sempre progredir é avançar...

CS Lewis disse em seu livro Cristianismo Puro e Simples (Martins Fontes):

Parece uma brincadeira, quando eu digo que, se um relógio estiver adiantado, a coisa mais sensata a se fazer é atrasá-lo? [...] Todos nós desejamos o progresso. Mas o progresso significa chegar mais perto do lugar em você gostaria de estar. E se você tiver virado na esquina errada, então ir para frente não o fará chegar nem um pouco mais perto. Se você estiver na estrada errada, progredir significará dar meia-volta e retomar a estrada certa; e, nesse caso, o homem que voltar mais rápido será o mais “progressista”. [...] Sempre que eu faço um cálculo errado, quanto mais cedo eu admitir o erro e voltar atrás para começar tudo de novo, mas rápido estarei em condições de avançar. Ser teimoso ou recusa-se a admitir um erro não significa nenhum avanço.

Sábias palavras do ex-ateu Lewis, que com clareza e simplicidade expunha clarezas do evangelho.
Nosso mundo capitalista é movido pelo progresso, “somos” baterias desse sistema (Marx/Matrix). Somos cobrados diariamente pelo avanço, ou nos atualizamos ou somos substituídos/atualizados. Temos que progredir! Isso não deixa de estar certo, mas se levado as últimas conseqüências torna-se “diabólico”[1], pois leva-se essa idéia para a vida espiritual, onde cada vez mais somos bombardeados com técnicas e performances para melhorar o desempenho espiritual. Essas “dicas” trazem consigo a ilusão de que meu desempenho espiritual atrai mais o amor e as bênçãos de Deus. Praticamente vão mascarando a realidade da incapacidade que o homem tem em relação ao divino.
A Bíblia deixa claro que o caminho para Deus é Cristo, isso não é novidade, “novo” talvez seja o fato de que Cristo não exige dos seus altos padrões de espiritualidade (não esses dissemindados em nossa literatura) mas somente um coração arrependido, ou seja, uma pessoa que entende que progredir espiritualmente é voltar atrás. No AT temos o termo shub e no NT o termo metanóia, ambos abarcam em seu campo semântico o conceito de arrependimento, voltar atrás, conversão. A Dinâmica do Reino é diferente da do mundo. No Reino crescer é diminuir, ser forte é ser fraco, perder é ganhar, ser o primeiro é ser o último e progredir é voltar atrás.
Seria muito bom se vivêssemos nossa humanidade sem a pretensão de sermos “super espirituais”, afinal, como disse Euler R. Westphal em seu livro Brincando no Paraíso Perdido (União Cristã): "não precisamos fazer atos divinos para alcançar a Deus, pois Deus fez atos humanos para nos alcançar"!

_______________
[1] Uso o termo diabólico no sentido daquilo que me afasta do centro.

7 comentários:

Felipe Augusto disse...

Olá pessoal, me chamo Felipe e quero expressar a minha satisfação em poder fazer parte deste blog BIBO em primeiro lugar quero te dar os parabéns meu irmão querido, gostei muito da idéia do Blog e deste primeiro texto,sinceramente acredito será mais fácil para cada um de nós vivermos, se deixarmos as teorias das "escadinhas espirituais", e não vivermos correndo atrás de um rótulo de SUPER ESPIRITUAIS.
Abraços

Joel Junior disse...

Bom dia BIBO.

Show de bola seu comentário.

Penso que devemos crescer na graça e no conhecimento, como esta em escrito 2 Pedro, no entanto, esquecer de detalhes que fazem uma grande diferença como: Liderar servindo, como: Progredir sem passar por cima dos outros, nos fazem a colidir de frente com um modelo pregado a sociedade.

Por isso seu artigo é bem lembrando nesse tempo onde temos que conquistar o progresso, o sucesso, “custe o que custar”, não importa quem ou qual que devo derrubar, o que importa é progredir / sucesso. Em momento nenhum devo “andar para traz”, e caso isso ocorra, está decretado o fim da minha carreira / sucesso.

Mas tanto em nossa vida (espiritual e cotidiana), lembrar que somos dependente de Deus, e nos colocarmos na sua dependência, nos fará muitas vezes recuar, porem, progredindo com Cristo.

Abraço.

Joel Junior.

Rodrigo de Aquino disse...

É isso mesmo, crescer em Cristo muitas vzs significa voltar atrás! Isso é metanóia!

Thiago Rodrigo e Elinéias Fabrício disse...

Boaaaaa Bibo,

Lembrei instantaneamente da introdução do livro Evangelho Maltrapilho, onde Brenan Manning descreve que este livro é “para os vasos de barro que arrastam os pés na argila”. Que o livro citado,n ão era para aqueles que se acham "os super-espirituais".

Hoje infelizmente as pessoas querem esse status de super-espirituais, como se a igreja fosse um ajuntamento de "super-crentes" e tudo quanto é tipo de "supers".

Abraço.

Vitor Hugo da Silva disse...

Rodrigo!

Seu texto nos faz refletir, o quanto é importante voltarmos atrás,nos arrependermos, nos hunilharmos muitas das vezes, para que haja um progresso em nossas vidas.

Você escreve: "A Dinâmica do Reino é diferente da do mundo. No Reino crescer é diminuir, ser forte é ser fraco, perder é ganhar, ser o primeiro é ser o último e progredir é voltar atrás".

Esta frase, pensamento, ou porque não dinâmica é profunda. Em um mundo globalizada (Quanto digo globalizado, inclua a igreja também), alegar que "perder é ganhar", é um erro fatal. Muitos alegam isto da boca para fora, pois na verdade ninguém quer perder.

Vou apagar a luz (rsrs) com esta parte:

"Progredir é voltar atrás"

Vitor Hugo.

Rodrigo de Aquino disse...

Vitor,

de fato, como fruto que somos do meio onde vivemos, tbm estamos globalizados e em certos aspectos secularizados...mas quando nos voltamos (voltar) para Deus, se faz necessário reconhecer a dinâmica do reino e a partir dela tentar viver.

paz

Rodrigo

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...